Você está aqui
Home > Séries > Review de Séries > Primeiras Impressões: Marvel’s Jessica Jones

Primeiras Impressões: Marvel’s Jessica Jones

Todos os textos produzidos pela Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

 

Hoje tivemos o lançamento de Marvel’s – Jessica Jones, a mais nova produção da Netflix em parceria com a Marvel e uma das séries mais aguardadas do ano. O que posso dizer dessa série que vi 10 episódios e já sinto aperto no coração ao pensar que está acabando? Com certeza ela é uma das séries mais maduras feitas pela Netflix e me faz desejar que essa parceria entre Marvel e Netflix dure muito tempo. Os fãs das HQ’s precisavam de um espaço como esse, que conseguisse trazer personagens secundários “mais adultos” da forma que eles realmente são! Nunca imaginei que poderia ver aquele mundo com violência, sexo, drogas e palavrões no universo que a Marvel estava construindo nos cinemas. Por isso, me resta apenas dizer uma coisa: Obrigada, Netflix.

Jessica Jones se passa em Hell’s Kitchen (o mesmo universo do Demolidor), onde Jessica (Krysten Ritter) trabalha como investigadora particular e vive atormentada por traumas do passado: ela busca apenas viver um dia de cada vez, procurando o “pior” nas pessoas, fracassada, solitária e buscando uma saída na bebida. Com uma ótima produção, tivemos um começo bem diferente das séries e filmes de heróis atualmente: não há “introdução”, não há aquela narração “Meu nome é Jessica Jones, perdi meus pais em um acidente de carro e ganhei poderes, etc, etc”. Muito pelo contrário, logo no inicio nos deparamos com uma Jessica Jones que teve seu auge e agora vive o caos. Isso fez com que pudéssemos descobrir a personagem aos poucos, e mesmo no meio da confusão, pudemos ter algo claro com suas explicações nos devidos momentos.

Um dos grandes destaques foi o vilão Killgrave (Homem-Purpura) e a excelente atuação de David Tennant, que mesmo sem aparecer muito nos primeiros episódios já mostra que não está ali para brincar. Jones tem medo, e um medo bastante justificável, afinal não é fácil ser controlada, atormentada e perseguida por um louco psicótico capaz de qualquer coisa sem nenhum remorso. Quando David entra em cena o clima fica pesado, já ficamos aflitos pois sabemos que Kilgrave com seu jeito sarcástico, controlador e com um leve toque de humor, é capaz de tudo.

O tom sério está presente em vários elementos da produção, como no roteiro, que não evita situações envolvendo álcool e sexo, como na fotografia, que em alguns momentos parece remeter ao cinema noir. Criada por Brian Michael Bendis e Michael Gaydos, a série nasceu para um público adulto, com uma realidade e humanidade que te faz parar em alguns momentos e pensar “Isso realmente poderia acontecer”. Existe também um toque feminista na série, mas tudo muito sutil, na série inteira temos uma sutileza dentro de um mundo de caos (Diga-se de passagem que pudemos ver essa “sutileza no caos” na abertura, uma das melhores aberturas que já vi da Netflix).

Uma das maiores preocupações de quem estava aguardando a série era a relação Jones-Cage, e a química entre os dois é algo nítido. Um romance leve, sem forçar nada e cenas com direito a camisetas rasgadas e camas quebradas. Mike Colter chegou muito bem como Luke Cage (Mal posso esperar a série dele), um personagem quase tão perturbado como a Jessica. Luke também está envolvido com os traumas da Jessica, e o crescimento e evolução que ambos personagens tem juntos é algo muito bonito de se ver.

Para finalizar, só posso dizer que a Netflix acertou SIM! Acertou em todos os sentidos: Elenco, Roteiro, Produção… O que é mais interessante é essa abordagem de te apresentar os personagens aos poucos, sem aqueles flashbacks contando “origens” e enrolando a história. Eles não criaram um “segundo” Demolidor, e sim uma série tão boa quanto, com características próprias, personagens fortes, protagonistas com uma enorme humanidade, uma série sombria e poderosa. Ainda tenho alguns episódios para assistir, mas já tenho certeza que vou amar como final dessa história vai se desenvolver…

Lembrando que Jessica Jones terá um painel na Comic Con Experience no dia 04! E teremos a presença de Krysten Ritter e David Tennant no evento! Para saber mais sobre os painéis da Netflix, confira aqui
E para você que não vai na CCXP, a Up! Brasil estará lá para fazer a cobertura e trazer todas as novidades para vocês! Fiquem ligados em nossas redes sociais.

Top