Você está aqui
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Galera Record > Resenha de Livros: “Caçadora de Unicórnios”, de Diana Peterfreund

Resenha de Livros: “Caçadora de Unicórnios”, de Diana Peterfreund

Todos os textos produzidos pela Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Diana Peterfreund
Editora: Galera Record
Páginas: 364

nota3,5

Nunca pensei que unicórnios fossem um tema tão interessante até ter a oportunidade de ler a ontologia Unicórnios X Zumbis da qual Diana Peterfreund fez parte. Já conhecia o trabalho da autora através da série Sociedade Secreta e fiquei agradavelmente surpresa quando soube que ela havia dado continuidade ao tema trabalhado na ontologia e lançado “Caçadora de Unicórnios”.

Ao contrário da maioria das crianças, Astrid, a heroína de nossa história, cresceu ouvindo de sua mãe verdadeiros contos de terror sobre unicórnios malignos e sedentos de sangue. A jovem nunca havia acreditado nessas histórias, principalmente aquelas nas quais sua mãe explicava sobre sua herança genética proveniente de uma linhagem de nobres caçadoras de unicórnios. Uma noite, porém, quando Astrid e seu namorado são atacados por um unicórnio – um verdadeiro unicórnio! – a menina descobre que as histórias que permeavam sua infância são reais. Com o ressurgimento desses seres mitológicos, que até então todos acreditavam estarem extintos, um conjunto de jovens caçadoras são convocadas à Roma pela Ordem da Leoa, associação responsável pelo treinamento de caçadoras. Sendo descendente de uma das caçadoras mais famosas no ramo, Astrid terá de integrar a Ordem e cumprir seu papel para proteger o mundo desses terríveis seres.

Diana tem uma narrativa envolvente, mas a trama se inicia em um ritmo mais lento do que o indicado para uma obra de aventura. Para meu alívio, a história ganha agilidade ao decorrer das páginas e o final compensa o marasmo do início.

Sobre Astrid, eu não fui com a cara da personagem durante os primeiros capítulos. A achei pouco pró-ativa, reclamona e apagada. Parecia que a personagem estava sempre na sombra de Phillipa, sua prima, quem eu acredito que daria uma boa principal. Com o passar das páginas, porém, Astrid foi delineando uma personalidade mais forte e carismática. Esse crescimento e amadurecimento da personagem foi algo muito interessante na obra. Quanto as demais caçadoras, a autora elaborou suas personalidades com maestria. Cada jovem possui um jeito próprio e o leitor se apega a cada uma delas. Espero que nas próximas obras da saga tenhamos mais espaço para conhecer mais de cada caçadora.

“Alemão, francês, inglês e romeno se misturaram quando as caçadoras se juntaram em um círculo, murmurando seus desejos mais fervorosos: que saíssemos triunfantes, que sobrevivêssemos”.

Na minha visão, “Caçadora de Unicórnios” tem um caráter bastante introdutório. Sobram muitas interrogações na mente do leitor o que nos deixa ponderando o que virá no próximo livro da saga. Estou ansiosa para descobrir o que Diana trará para o futuro das personagens.

Para os fãs de aventuras fantásticas, “Caçadora de Unicórnios” apresenta uma trama original e envolvente. Com uma narrativa fluida e uma boa dosagem de romance e ação, esse livro encantará os leitores.

Deixe uma resposta

Top