You are here
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Galera Record > Resenha de Livro: “Trono de Vidro”, de Sarah J. Maas

Resenha de Livro: “Trono de Vidro”, de Sarah J. Maas

Todos os textos produzidos pela Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 388


nota5

Durante a Bienal, a Galera Record promoveu encontros com os blogueiros para uma conversa e entregou um kit para os parceiros no qual vinha junto um livro: O “Trono de Vidro”, lançamento da Bienal. Eu confesso que logo de início não me animei. Mas dois dias depois, peguei o livro para ler a sinopse e só parei quando estava na última página do livro.

A história gira em torno de Celaena, uma assassina de 18 anos que está cumprindo sua sentença nas minas de sal de Endovier. Suas forças estão no fim quando ela recebe uma proposta: ser a representante do príncipe de Adarlan numa competição contra os mais famosos assassinos da qual apenas um sairá para se tornar o campeão do rei. Ela saber que permanecer em Endovier será assinar sua sentença de morte, mas a competição será lutar por sua vida a cada batalha. Porém, essa é sua única chance de liberdade e ela lutará por ela com toda força que ainda lhe resta.

Celaena tem uma história trágica que a transformou na mais famosa assassina de Adarlan. Para segurá-la é necessário um exército de homens extremamente capazes. Infelizmente, ela foi capturada numa armadilha, e ela realmente ainda deseja saber quem foi o responsável por sua captura. Mas Celaena é uma jovem linda e que deseja sua liberdade. Ao mesmo tempo, ela tem um desejo de vingança guardado em seu peito e tenta fazer com isso não coloque por terra sua possibilidade de liberdade. Durante a competição, Celaena descobre que a magia, há muito tempo sito extinta de Adarlan, talvez não tenha desaparecido completamente. E quando ela não está perdida no meio de uma dessas coisas, ela passa seu tempo com Chaol, o capitão da guarda, Dorian, o príncipe e Nehemia, uma princesa de um outro reino em visita a Adarlan.

Dorian é o típico príncipe conquistador. Jovem e lindo, ele aposta em Celaena para vencer a competição. Entretanto, esse galante príncipe que é cheio de amantes cai de amores pela maior assassina do reino. Seu interesse por ela é tão sério que ele cogita inclusive desafiar o pai, caso o impeça de viver essa paixão. Ele é carismático, fato.

Chaol, por outro lado, é um cara honrado e cheio de responsabilidades. Amigo íntimo do príncipe, sua maior preocupação sempre foi manter a família real em segurança. Até que Celaena toma seus sentimentos e ele se vê num conflito, afinal, Dorian tem interesse na garota. Mas Chaol é sexy demais, bonito e incrivelmente cativante de sua forma. Eu não precisei de trinta páginas para torcer por Chaol e Celaena.

Nehemia é a amiga que Celaena nunca teve. Ela é essencial para que a assassina mantenha seu toque de menian durante a história e em boa parte do tempo, dá certa leveza à personagem.

Mas o mais interessante de Trono de Vidro não são nem seus personagens – que são ótimos. Na verdade, a história é tão bem desenvolvida e mistura tantas coisas interessantes que se torna impossível não cair nas garras da autora. Que trabalho fantástico Sarah J. Maas fez nessa série! Qualquer um que goste de aventura vai amar o livro. Quem gosta de lutas também vai adorar. E quem gosta de romance, fantasia, suspense… Enfim!

O livro tem tudo para ser um sucesso e conquistar os leitores, dos mais jovens àqueles nem tão jovens assim, como eu. Quando terminei Trono de Vidro já corri para a internet para saber se a continuação já tinha sido publicada. Estou absurdamente ansiosa para ler a continuação dessa história. Se fosse possível, eu daria nota 10. 😉

Deixe uma resposta

Top