Você está aqui
Home > Livros > Resenha de Livro: “Quem Vai Dormir Com Quem?” – Madeleine Wickham

Resenha de Livro: “Quem Vai Dormir Com Quem?” – Madeleine Wickham

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Madeleine Wickham
Editora: Record
Páginas: 320

nota3

É sempre curioso lidar com o pseudônimo de um autor. Quem Vai Dormir Com Quem?, publicado pela editora Record, foi escrito por Madeleine Wickham, mundialmente conhecida como Sophie Kinsella, autora da divertida série “Becky Bloom”.

Se você iniciar esta leitura esperando uma comédia hilariante no estilo de “Samantha Sweet, Executiva do Lar” ou “Lembra de Mim?”, a decepção será certeira. Dramático, com protagonistas mais velhos e um tema central bastante controverso, este livro me pegou de surpresa. Pela sinopse e pela capa (que me lembrou demais a série “Gossip Girl”), eu poderia jurar que “Quem Vai Dormir Com Quem?” se tratava de uma obra leve e descontraída, mas Madeleine Wickham me surpreendeu com a abordagem de temas que eu consigo extremamente sérios: adultério, confiança, decepções familiares e profissionais e amadurecimento.

A história nos apresenta dois casais ingleses que não estão vivendo seus melhores dias e acabam tendo que dividir a casa emprestada por um amigo em comum na Espanha durante suas férias. Chloe, uma costureira, vive há 13 anos com o gerente bancário Phillip e tem dois filhos. Na tentativa de fazer com que o companheiro deixe de lado os problemas que estão ameaçando seu emprego, ela decide embarcar com a família para uma pequena vila no ensolarado país ibérico. Já o casal formado por Amanda e Hugh, um rico empresário, busca escapar das obras de redecoração que sua casa está passando, o que torna o ambiente estressante e pouco saudável para suas duas filhas pequenas. O que poderia ser o início de uma série de trapalhadas com muitas tiradas divertidas transforma-se algo denso e doloroso quando descobrimos que Chloe e Hugh tiveram um envolvimento amoroso muitos anos atrás. Feridas que pareciam estar completamente curadas ressurgem e antigas recordações começam a mexer com os sentimentos dos dois, criando uma trama extremamente tensa e dramática.

Não espere por situações hilariantes – a única personagem que traz um pouco de frescor a história é a babá das filhas de Amanda e Hugh, uma jovem australiana que logo se torna a menina dos olhos do filho adolescente e boboca de Chloe. O único paralelo que eu pude criar entre o estilo narrativo de Sophie Kinsella e Madeleine Wickham foi a extrema fluidez da história, já que as tramas desenvolvidas não poderiam ser mais diferentes. Contando a história de casais em fases críticas de seus relacionamentos, este livro passa longe da diversão, ainda que seja muito rápido e fácil de ler.

Confesso que simplesmente detesto histórias que giram em torno do tema “adultério”. Não consigo deixar de me colocar no lugar da pessoa traída, o que acaba comprometendo bastante a minha percepção da história e dos personagens. Ainda que a trama de Quem Vai Dormir Com Quem? seja bem construída e interessante, foi difícil criar algum vínculo com os personagens do livro. Com muitos problemas na cabeça, Phillip e Hugh dedicam-se mais à bebida do que qualquer outra coisa, passando longe do padrão de homem charmoso que nos faz suspirar. Amanda, ainda que muito dedicada e carinhosa com suas filhas, é uma mulher fútil e esnobe, enquanto Chloe prova ser emocionalmente imatura e frágil a cada capítulo. Eu não esperava um final diferente do que foi apresentado, mas não pude evitar certo mal estar pelas pessoas que nunca souberam do passado de seus parceiros.

Se você é fã de Sophie Kinsella e deseja algo no estilo que consagrou o pseudônimo, passe longe de Quem Vai Dormir Com Quem?. Porém, se você deseja conhecer a jovem autora Madeleine Wickham, mergulhe já nesta realista e densa trama sobre relacionamentos adultos.

Jaqueline Sant'ana
Tem 29 anos, é carioca, botafoguense, revisora e Mestre em Sociologia. Ama cinema, literatura e música e curte passar os finais de semana fazendo binge-watching de séries, mas não dispensa um karaokê com litrão de cerveja.

Deixe uma resposta

Top