Você está aqui
Home > Livros > Resenha de Livro: “Que Fim Levou Juliana Klein?” – Marcelo Peres

Resenha de Livro: “Que Fim Levou Juliana Klein?” – Marcelo Peres

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Marcelo Peres
Editora: Record
Páginas: 353

nota5

Quando recebi Que fim levou Juliana Klein?, confesso que tomada de certo preconceito, olhei com desconfiança para o livro. Um romance policial brasileiro, será que isso daria certo? Claro, mera desinformação da minha parte, afinal, Marcos Peres já havia lançado anteriormente “O Evangelho Segundo Hitler”, mas eu ainda não tinha lido.

Nessa obra, Peres cria uma trama entre as famílias Koch e Klein, cuja rixa nasce na Alemanha e os persegue mesmo quando as famílias vêm para o Brasil. No livro, a história começa com um interrogatório em um manicômio, de uma testemunha sobre a morte de uma Klein, professora de filosofia, de uma das principais universidades do Paraná. Não sabemos quem é essa paciente, mas sabemos que ela é parte desse quebra-cabeça que é a história das duas famílias repleta de referências à Shakespeare e muita citação de Nietzsche.

A história de rancor das duas famílias começa com pinceladas de Romeu e Julieta. Lembram do prólogo da peça quando o coro diz “(…) duas famílias iguais na dignidade, levadas por antigos rancores, desencadeiam novos distúrbios nos quais o sangue civil tinge mãos cidadãs. Da entranha fatal desses dois inimigos ganharam vida, sob adversa estrela, dois amantes, cuja desventura e lastimoso fim enterram com sua morte, a constante sanha de seus pais.”? Então, isso, o amor, também é de o começo da briga entre Koch e Klein. Dois homens que amam a mesma mulher, e marcam assim o nascimento da discórdia que manchará de sangue ambas as famílias.

A morte de Juliana Klein é o fio condutor utilizado pelo autor para contar essa história. A partir da investigação desse caso, a árvore genealógica das duas famílias vai se construindo e se ligando, seja por amor ou por ódio. Uma ideia deveras inteligente e, principalmente, bem trabalhada, pois com tantas possibilidades, se Peres não tivesse tanto talento, teria deixado muitos fios soltos.

A narração é ágil e cativante, o que é essencial para criar essa áurea de thriller. Os personagens são interessantes e dúbios, nenhum deles é definido por apenas um tipo. Na verdade, a maioria deles tem atitudes bastante contraditórias umas com as outras, o que torna a nossa investigação particular ainda mais complicada. E o final, pelo menos para mim, traz uma surpresa.

Fiquei bastante encantada com o livro e positivamente surpresa. Marcelo Peres certamente é talentoso e merece os elogios que ouço sobre ele. E agora fiquei curiosa para ler o livro anterior do autor.

Deixe uma resposta

Top