Você está aqui
Home > Livros > Resenha de Livro: “Necrotério”, de Patricia Cornwell

Resenha de Livro: “Necrotério”, de Patricia Cornwell

Todos os textos produzidos pela Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Patricia Cornwell
Editora: Paralela
Páginas: 384

nota4

“Necrotério” é o décimo oitavo livro da série Kay Scarpetta, da autora Patricia Cornwell. Não li os dezoito – gostaria, e tenho certeza que os lerei ainda – mas já li alguns. Fui pega logo de cara pela escrita da autora e pela personagem Scarpetta.

Nesse livro, A doutora Kay Scarpetta é levada de volta à base aérea de Dover, onde no passado esteve em um programa de treinamento que fazia parte da bolsa de estudos da Força Aérea para pagar a universidade. Durante os seis meses que fica em Dover, a chefe legista responsável pelo Centro Forense de Cambridge, em Massachusets, deixa a liderança nas mãos de Fielding, alguém que todas as pessoas próximas a ela não confiam, mas ela insiste em confiar. Porém, uma bomba estoura em seu quintal e ela é chamada as pressas para tentar resolver o problema antes que seja tarde demais e toda a sua carreira e reputação sejam jogados no lixo.

Uma coisa que é característica dos da série é que a Kay tem opinião forte e segue seus instintos. E ela sempre teve pessoas fiéis a ela como sua sobrinha Lucy, o detetive Marino e seu marido e ex-agente do FBI, Benton. Porém, dessa vez as coisas estão diferente. Além do grande problema que é ter um cadáver sangrando em seu necrotério, o que na verdade sugere que o defunto não estava morto quando foi colocado na geladeira, ela percebe que nenhum dos seus três escudeiros está falando tudo o que sabe.

A doutora Kay está em apuros nesse livro. Vários casos conduzidos por Fielding parecem ter sido conduzidos de forma errada e esse peso está recaindo sobre ela. O quanto ela pode ter errado ao confiar nele? Será que ele realmente é tão culpado quanto está parecendo? Será que seus instintos estavam errados? Para completar, as informações estão chegando à ela em conta-gotas, sem que ela possa ter uma visão geral de tudo. E, pela primeira vez, ela se pergunta se seu casamento está abalado de uma forma que ela não tinha percebido.

Novamente Kay irá usar sua inteligência, seu instinto e sua incansável busca pela verdade para achar as respostas corretas para todas as perguntas que estão aparecendo e para encontrar o verdadeiro culpado pelos crimes. Precisando vencer antigos fantasmas do início de sua carreira e algumas inseguranças, ela precisará estar mais atenta do que nunca para salvar sua carreira.

Patricia Cornwell mais uma vez acertou em cheio com sua protagonista. Mais uma história cheia de mistério, suspense, reviravoltas e que nos deixa sempre querendo ler a próxima página. Minha única crítica na verdade é uma questão e gosto pessoal; eu não gostei desse clima de segredo que ficou entre Kay e seus três escudeiros. A sensação de que eles não confiavam nela não foi algo que eu tenha gostado, meio que me decepcionou. Mas isso não tira o brilho da história e nem da competência da autora.

Deixe uma resposta

Top