You are here
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Arqueiro > Resenha de Livro: “Ligeiramente Seduzidos” – Mary Balogh

Resenha de Livro: “Ligeiramente Seduzidos” – Mary Balogh

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 288

nota4

Ligeiramente Seduzidos” é o quarto livro da série Os Bedwyns e conta a história da irmã mais nova, Morgan. Recém apresentada a sociedade inglesa e com a alma mais velha que a idade, ela se sente sobrecarregada com as limitações da sociedade. Morgan é autorizada a acompanhar sua amiga e família até Bruxelas, onde o regimento do irmão foi enviado para lutar contra Napoleão.
Do outro lado da história termos Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, que aproveita a presença da mais nova dos Bedwyns em Bruxelas para se vingar do irmão mais velho da família, Wulfric, planejando arruinar a reputação de Morgan. Mas ele não contava que ela não era uma mocinha tola que se deixa levar. A partir desse momento, começa uma segunda batalha, a de vontades entre os dois.

Há diversos pontos positivos no livro, como:

O progresso no caráter de Gervase, que no começo do livro não passava de um patife encantador querendo se aproveitar de Morgan. Com os acontecimentos do livro, ele nos mostra (e a Morgan) que é digno de redenção e conforme a amizade entre eles crescem, o leitor acaba torcendo por eles. Gervase deixa de ser uma pessoa movida pela vingança para se entregar ao amor que sente por ela.

O amadurecimento dos principais conforme o tempo vai passando. Mesmo difícil de enganar e com pensamentos modernos, Morgan ainda era somente uma garota de 18 anos, com suas ingenuidades e arrogância tão característica de sua família. Ela tem um grande crescimento, causado ainda mais pelo altruísmo dela após a batalha.

E por fim, podemos acompanhar acontecimentos históricos da Inglaterra sendo narrados pela perspectiva de quem era expectador, já que a narrativa se passa justamente na época em que a batalha de Waterloo acontecia, retratando até seu desfecho. Diversas vezes seu irmão a mandou voltar pra casa, mas Morgan não queria sair de Bruxelas e ficar sem saber notícias dos acontecimentos em tempo real, uma vez que na Inglaterra, elas demorariam semanas a chegarem.

Em meio a uma Bruxelas apreensiva sobre o futuro dos guerreiros que poderiam não voltar da batalha, Morgan e Gervase viram amigos antes de ter qualquer envolvimento amoroso, um diferencial nos livros do gênero. A química entre eles salta das páginas do livro, ainda mais no meio das diversas conversas entre eles.

De todos os livros da série, esse é o que tem mais carga emocional e comovente. Posso dizer, sem vergonha, que me emocionei em algumas partes mais do que em livros mega dramáticos, por exemplo. Não vou mentir e dizer que foi uma leitura rápida, sem dificuldades. Lutei um pouco pra pegar o ritmo. Não que a escrita tenha sido cansativa, uma vez que é o mesmo estilo dos outros três livros, mas, a teimosia das personagens algumas vezes me deixou empurrando com a barriga em certas partes. Mas, Mary Balogh sabe o que faz e quando você menos espera, já está grudado no livro querendo saber o que vai acontecer, tanto que Morgan está par a par com a irmã no posto de livro preferido da série.

Suelen Dias
Jornalista e mercadóloga, super ligada no mundo pop. Adora um bom livro, uma boa série e ir ao cinema. Escritora frustrada, adora viajar, nutre um amor profundo e eterno por Londres.

Deixe uma resposta

Top