Você está aqui
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Arqueiro > Resenha de Livro: “Ligeiramente Escandalosos” – Mary Balogh

Resenha de Livro: “Ligeiramente Escandalosos” – Mary Balogh

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 288

nota4

Romances de época mostram mulheres fortes, nada convencionais e a frente do seu tempo sempre resultam em boas histórias, e são umas das melhores coisas que acho nesse gênero. Com “Ligeiramente Escandalosos” não foi diferente. A personagem principal, Freyja Bedwyn, já é conhecida para os leitores que acompanham a série “Os Bedwyn”. Com um gênio forte, independente e teimosa, Freyja é quase destemida e se for necessário dar um murro na cara de alguém, ela não hesita.
Ninguém imagina que por trás dessa dureza toda existe uma garota de bom coração e que já sofreu poucas e boas quando o assunto é amor. Mas ela não contava com as surpresas que aconteceria em sua vida.
A caminho da casa da família de uma conhecida em Bath, a ela acaba participando de um episódio que chocaria a sociedade e mancharia sua reputação caso fosse pega. Joshua Moore, Marquês de Hallmere, vive a vida que quer, sem responsabilidades, apesar do título que conquistou por um infortúnio. Na escapada de uma confusão ele esbarra em Freyja, ou melhor, entra no quarto dela. E a partir daí começa uma série de encontros hilários (alguns até polêmicos) entre os dois, que tem uma química inegável.
Os dois não contavam com a chegada da tia de Hallmere e seus planos de casar o sobrinho com sua filha mais velha. Para se livrar da cilada de um casamento indesejável, Joshua propõe a Freyja um noivado de mentirinha, que acaba aceitando. O que era só pra ser uma brincadeira temporária começa a ganhar proporções que eles não conseguem controlar, inclusive a atração que sentem um pelo outro. Em meio a essa confusão os irmãos de Freyja se envolvem e já dá pra imaginar o caos que se instaura com diversas situações engraçadas.
Mary Balogh conseguiu, mais uma vez, escrever um livro agradável, com uma história envolvente entre dois personagens que não perdem a oportunidade de se provocar, que o leitor consegue ler em um dia e ainda fica querendo mais quando acaba. Preciso dizer que a capa é uma atração à parte? Não condiz muito com as características da Free, mas não tira a beleza e boa vontade da editora em nos dar um livro lindo e com qualidade.

Quem não acompanha ou não leu qualquer um dos livros anteriores, não tem problema. Eles, apesar de fazerem parte de uma série, podem ser lidos separadamente.

Resenha publicada originalmente no blog “Nosso Clube do Livro”, em 12/10/2015

Suelen Dias

Jornalista e mercadóloga, super ligada no mundo pop. Adora um bom livro, uma boa série e ir ao cinema. Escritora frustrada, adora viajar, nutre um amor profundo e eterno por Londres.

Deixe uma resposta

Top