Você está aqui
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Arqueiro > Resenha de Livro: “Como Agarrar uma Herdeira” – Julia Quinn

Resenha de Livro: “Como Agarrar uma Herdeira” – Julia Quinn

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Julia Quinn
Páginas: 304
Editora: Arqueiro

Julia Quinn é aquele tipo de autora de Romance de Época que todo, ou pelo menos a maioria, dos leitores do gênero leem automaticamente suas obras quando são lançadas. Com “Como Agarrar uma Herdeira” não ia ser diferente.

Antes mesmo de ser lançado aqui no Brasil, ouvi sobre este livro e como ele era engraçado. Mais até que outros da autora. Que ele se destacava justamente por essa veia mais cômica, então quando a Arqueiro anunciou sua publicação, minha curiosidade cresceu.

Ele realmente tem suas partes engraçadas, algumas devido as atrapalhadas que a personagem principal, Caroline, faz. Falando nela, a história começa justamente com nossa heroína em um episódio nem um pouco agradável. Órfã e com dinheiro, Caroline teve diversos tutores terríveis até chegar ao atual, que, muito ganancioso, força seu filho a assediá-la. E assim que nós a conhecemos, fugindo deste assedio e atirando do seu agressor. Imagine o leitor com essa surpresa maravilhosa, deixando logo de cara que Caroline não será aquela mocinha frágil uma vez que teve que aprender a se virar sozinha e a se defender durante toda a sua vida.

Após esse infeliz episódio, ela chega à conclusão de que precisa fugir de casa e ficar sumida até completar 21 anos, que seria dali a seis meses, e ter direito ao seu dinheiro. O único problema é que ela acaba sendo sequestrada no meio de sua fuga.

Blake Ravenscroft é um agente do Departamento de Guerra da Inglaterra que está de tocaia nas terras do tutor de Caroline a procura de uma grande espiã espanhola e acaba confundindo as duas, sequestrando Caroline e a levando para sua casa bastante confiante que sua missão tinha sido um completo sucesso.

A moça, por sua vez, ao notar que foi capturada por engano embarca na mentira e não se revela para Blake. Ela inclusive passou a noite inteira tossindo para inflamar sua garganta e não conseguir falar. Blake, ao notar resistência em conseguir as informações que queria, convidou seu amigo e também agente do Departamento de Guerra, o marquês de Riverdale. O nobre foi o único a já ter visto o rosto da espiã e poderia ajudar neste caso.

Imagine a surpresa de Blake ao descobrir que Caroline não era quem pensava ser! Ela logo explica seus motivos para aquela farsa e consegue que os cavalheiros a ajudem em troca de informações sobre a rotina e o mapa da casa de seu tutor que pode estar envolvido até o pescoço na venda de informações secretas.

Enquanto acontece tudo isso, Blake e Caroline acabam desenvolvendo um relacionamento cheio de brigas, bem no estilo cão e gato, meio cansativo às vezes. Com esse relacionamento seus sentimentos começam a mudar, causando certa resistência por parte de Blake, que ainda se culpa pela morte de sua noiva. Isso foi uma das partes que mais me irritou no livro, muito drama que poderia ter sido resolvido logo, logo.

A autora não foge da sua fórmula de escrita de sucesso, mesmo este sendo um dos livros que ela lançou no começo de sua carreira. Claro que há algumas partes mais rasas, bem de principiante, certos diálogos e cenas desnecessárias também poderiam ter sido evitadas uma vez que são bastante cansativos e desinteressantes de alguma forma. Se formos comparar com os livros já lançados, ela melhorou bastante atualmente. O livro demora um pouco pra atingir uma velocidade legal de leitura, vamos dizer que mais da metade pro final, mas isso não o faz um livro chato. Os personagens secundários são umas graças e bastante divertidos, às vezes sem noção, mas divertidos.

Como Agarrar uma Herdeira é o primeiro livro da duologia Agentes da Coroa.

Suelen Dias

Jornalista e mercadóloga, super ligada no mundo pop. Adora um bom livro, uma boa série e ir ao cinema. Escritora frustrada, adora viajar, nutre um amor profundo e eterno por Londres.

Deixe uma resposta

Top