Você está aqui
Home > Livros > Resenha de Livro: “Bruxos e Bruxas” – James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Resenha de Livro: “Bruxos e Bruxas” – James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Todos os textos produzidos pela Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autores: James Patterson e Gabrielle Charbonnet
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288

Eu sou fã assumida e declarada de James Patterson. Eu adoraria ter tempo para ler todos os livros dele, porque certamente muito iriam me agradar. Mas o Patterson que eu conheço é o autor dos romances policias. Essa é a primeira vez que leio um livro voltando para o público jovem escrito por ele. E na minha opinião, não deixa a desejar.

Bruxos e Bruxas” conta a história dos irmãos Whit e Wisty, que da noite para o dia são arrancados de casa e jogados numa prisão, considerados inimigos da pátria. Seus pais estão desaparecidos e eles precisam fugir da Nova Ordem antes que sejam mortos sob a acusação de traição. No governo da N. O. jovens até 18 anos são os elementos mais perigosos da sociedade, e os irmãos Allgood estão no topo da lista.

Nesse primeiro livro, Wisty é a grande atração. É ela quem produz praticamente toda a magia, quem confronta, quem faz e acontece. A maior parte do livro é narrada por ela. A menina ruiva, sugestivamente, controla o fogo, faz magia com a varinha e os tira de quase todas as piores situações. Ela é “a” bruxa.

Whit é, pelo menos nesse primeiro volume, só um coadjuvante. Sua participação é quase dispensável na trama central. Ele produz muito pouca magia, e ainda assim, suas demonstrações são praticamente nulas perto da irmã. Quando eles encontram outros adolescentes no Submundo e contam seus feitos, chega a ser um relato constrangedor das proezas de Wisty em relação a Whit. Eu estou realmente esperando que ele ganhe mais destaque na continuação.

Fora isso, a trama é boa. O ritmo do livro é corrido, como característica do autor. Os irmãos passam quase o tempo todo tramando fugas, ataques e tentando descobrir como utilizar e dominar seus poderes. Ao que parece, mesmo quando isolados em locais com proteção contra magia, eles mantém seus poderes. O único capaz de bloquear seus poderes é O Único que é O Único. E justamente ele é o líder da N. O. e aquele que quer exterminar os os jovens.

Ao longo da história alguns personagens vão aparecendo. Alguns são inimigos, outros são aliados e uns parcos são traidores. É preciso prestar atenção em quem está perto para que você não caia numa cilada.

O fato é que agora estou ansiosa para saber o que acontece com os irmãos. O prólogo do livro é na verdade o momento final da história e para piorar, é justamente o momento de clímax. Patterson e Charbonnet nos deixam desesperados pela continuação.

Deixe uma resposta

Top