Você está aqui
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Arqueiro > Resenha de Livro: “Boneco de Pano” – Daniel Cole

Resenha de Livro: “Boneco de Pano” – Daniel Cole

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autor: Daniel Cole
Editora: Arqueiro
Páginas: 336

Boneco de Pano” é o novo lançamento da Editora Arqueiro, escrito por Daniel Cole. Esse é o livro de estreia do autor e já começou mostrando que sabe construir uma boa história como poucos.

Na sinopse oficial, o polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano. Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.

Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar. Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.

Vou começar falando sobre como achei interessante a ideia de um cadáver composto de várias partes de outros cadáveres. Isso, por si só, já torna a história interessante. A busca dos investigadores pelos donos daqueles corpos, encontrar a ligação entre eles, e principalmente, salvar as vidas das seis pessoas que estão listadas pelo assassino. Impossível não ficar curioso sobre o que vai acontecer.

No centro da história está William Fawkes, o policial que foi afastado no passado por ter espancado quase até a morte um suspeito de crimes bárbaros que foi inocentado no julgamento. Esse episódio jogou Wolf, como é conhecido, no fundo do poço. Porém, O caso do boneco de pano e o fato de seu nome figurar na lista do assassino volta a coloca-lo sob os holofotes. Wolf, de fato, tem um temperamento instável. Agressivo, explosivo e nervoso, é um cara que tem muito trabalho para se controlar e fazer seu trabalho nos dias atuais.

Apesar de tudo, Wolf parece um bom policial e sua parceira de trabalho, Emily, parece pensar o mesmo. O problema é que existe uma tensão sexual entre os dois e a gente não sabe até onde isso pode atrapalhar Emily como policial. E sim, também nos deixa ver um lado desagradável de Wolf, do cara que fica cozinhando a garota, mas não toma nenhuma resolução.

O grande pulo do gato no livro se dá quando Edmunds, um novato em treinamento com Emily Baxter, começa a seguir uma linha de investigação própria, baseada em indícios que ninguém quer ver. É aí que o garoto começa a perceber uma série de ligações suspeitas em relação aos crimes já cometidos e as pessoas que estão na lista de futuros assassinatos. E principalmente, ele percebe que todos os indícios apontam para uma única pessoa.

Com um final surpreendente e eletrizante, e de certa forma um pouco questionador, Boneco de Pano coloca Daniel Cole numa seleta lista de bons autores de thriller policial. Agora, fico na expectativa do que mais pode sair da cabeça desse autor. O livro, de minha parte, está recomendadíssimo.

Deixe uma resposta

Top