Você está aqui
Home > Livros > Resenhas > Editoras > Resenha de Livro: “Bem Mais Perto”, Susane Colasanti

Resenha de Livro: “Bem Mais Perto”, Susane Colasanti

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Autora: Susane Colasanti
Editora: Novo Conceito
Páginas: 240

Qual garota adolescente apaixonada pensou que o garoto que gostava era o amor da sua vida? Praticamente todas, certo? E é justamente esse o pensamento de Brooke, uma adolescente de Nova Jersey, super apaixonada por Scott, o típico garoto popular que não diz nem as horas pra ela. Imagine então quando ela sabe que ele vai se mudar para Nova Iorque. Ela rapidamente decide ir morar com o pai na mesma cidade que o garoto, e estudar na mesma escola, tudo com o intuito de se aproximar e finalmente ficar com ele. Ideia bem idiota para nós garotas completamente com a cabeça no lugar.

Confesso que já esperava que Bem Mais Perto fosse uma coisa bem chatinha, sobre uma garota tapada que larga tudo pra ir atrás de um cara que não vale à pena. Não bastando esse fato, Brooke está no ultimo ano da escola e quem já passou por isso sabe como a vida fica complicada com todas as escolhas que devemos fazer, as responsabilidades que começamos a ter e etc, mas a menina parece que ignora tudo isso e tá pouco se lixando e só tem cabeça pro tal do Scott, e essa obsessão toda.

Falo obsessão por que realmente acaba se tornando uma a partir do momento em que ela começa a circular pela vizinhança do local onde ele mora pra ver se encontra com ele, ou pra descobrir onde é a casa dele, uma “sem-noçãozisse” sem tamanho. Talvez a autora quisesse passar pro leitor que a personagem era uma garota determinada por correr atrás do que ela quer ou algo do tipo, mas ela acabou criando o efeito contrário, incentivando um comportamento muito errado. Conforme as coisas vão acontecendo, já lá para o final do livro, a personagem finalmente cresce e coloca um pouco de juízo na cabeça, mas nem isso torna o livro interessante.

Parece que essa mudança foi bem mágica e que aconteceu rápida demais…sei lá, não me agradou. Os personagens secundários me chamaram mais atenção do que a protagonista. John é um garoto super especial que até agora eu estou pensando no por que dele ter se interessado pela sonsa da Brooke, e a Sadie é um amor com seus warm fuzzies. Outro ponto crucial foi a escrita, bem simples e monótona a tal ponto que eu sentia que as horas não passava – demorei muito mais tempo do que geralmente levo pra ler um livro de 200 páginas e empurrei a leitura com a barriga. As únicas partes legais da narrativa eram as descrições de Nova Iorque. Espero que a autora seja feliz em seus outros livros e não invente de escrever nada parecido com isso em um futuro próximo.

 

Resenha publicada originalmente em 2012.

Suelen Dias
Jornalista e mercadóloga, super ligada no mundo pop. Adora um bom livro, uma boa série e ir ao cinema. Escritora frustrada, adora viajar, nutre um amor profundo e eterno por Londres.

Deixe uma resposta

Top