Você está aqui
Home > Colunas > Nostalgia de Filme: Shakespeare Apaixonado

Nostalgia de Filme: Shakespeare Apaixonado

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Pena

Título Original: Shakespeare in Love
EUA, 1998 – 123min
Romance
Diretor: John Madden
Roteiro: Marc Norman / Tom Stoppard
Elenco: Gwyneth Paltrow, Joseph Fiennes, Judi Dench, Geoffrey Rush, Tom Wilkinson, Imelda Staunton, Colin Firth, Martin Clunes, Simon Callow.

Sinopse: William Shakespeare precisa escrever uma nova peça comédia, só que sua vida vazia de prostitutas e bebedeira não está sendo de nenhuma inspiração. Até que ele conhece Viola, uma Lady que é apaixonada por teatro e louca pelas peças dele. Os dois se apaixonam e milagrosamente Shakespeare recupera sua inspiração, porém devido ao fato de Viola está prometida em casamento, sua peça passa a ser uma tragédia e não uma comédia como deveria ser. Enquanto isso Viola se disfarça de homem para poder atuar no espetáculo que William está escrevendo – naquela época só homens podiam ser atores. Então apaixonado William Shakespeare escreve um dos maiores clássicos da história: Romeu e Julieta.

Ok, é muito bom falar de romances! Principalmente um como esse! Shakespeare Apaixonado é filme tocante que nos faz devanear sobre os possíveis romances de um dos maiores escritores da história da humanidade e nos perguntar qual o fruto de suas inspirações. Sempre que assisto esse filme fico imaginando como Shakespeare filtrava as histórias de sua mente brilhante e que tipo de aventuras ele deve ter vivido.

Indicado a 13 Academy Awards, ganhou 7 incluindo o de Melhor Atriz (Gwyneth Paltrow), Melhor Atriz Coadjuvante (Judi Dench) e Melhor Direção de Arte, esse filme marcou época. É dono de uma gama de prêmios, incluindo 4 Golden Globes e 3 Baftas.

A interpretação do nosso querido Joseph Fiennes como Shakespeare é fantástica, como sempre. E o que falar de Gwyneth Paltrow? Não é a toa que ela ganhou o Oscar. Maravilhosa é um adjetivo negligente quando se trata da interpretação da Paltrow nesse filme. É impossível não se envolver na trama traçada por Viola e seus devaneios sobre ser uma atriz e conquistar a tão sonhada liberdade, que naquela época era completamente restringida para quem nascia com dois cromossomos X.

Shakespeare Apaixonado é um clássico assim como a história a que remete. É muito interessante especular sobre em que bases foi escrito o maior romance de todos os tempos. Romeu e Julieta que geralmente está no cerne das histórias, vira coadjuvante nesse lindo filme, e é simplesmente impressionante ver como a equipe por trás das câmeras utiliza um clássico para criar outro.

Uma coisa interessante é vermos o maravilhoso Ben Aflec no início de sua carreira, fazendo um papel secundário, de pouco destaque, mas que não afeta em nada o seu brilho. Ele consegue demonstrar o quão bom ator é.

O que gosto nesse filme, além das maravilhosas atuações e de um roteiro super envolvente, é a capacidade de transformar uma história complexa como a de Romeu e Julieta em algo mais leve, com tons de comédia e uma ainda mais linda história de amor, sem a tragédia do clássico mas com a sempre triste vida inspiradora de um escritor da Idade Média.

E como se Paltrow e Fiennes não fossem suficientes, o filme ainda traz a brilhante Judi Dench que está inesquecível em seu papel da Rainha Elizabeth I. Ela só esteve em cena por 6 minutos divididos em 4 cenas mas ainda conseguiu ganhar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Isso sim é assinar o atestado de boa atriz.
Ao todo o filme é fofo e emocionante, que nos põe a refletir sobre a luta por igualdade de um mundo controlado por homens. É muito tocante ver alguém realizar um sonho em uma realidade onde era aparentemente impossível até ser você mesmo.

Fica a dica para quem ainda não viu… o filme é antigo, não tem nenhum efeito especial nem nada futurístico dos filmes de hoje em dia… mas é uma história que te conquista pela simplicidade e pelo valor de um verdadeiro amor.

Por: Nany Macedo

Deixe uma resposta

Top