You are here
Home > Colunas > Nostalgia de Filme: Lendas da Paixão

Nostalgia de Filme: Lendas da Paixão

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Título Original: Legends of the Fall
EUA/1994 – 134 min
Drama
Direção: Edward Zwick
Roteiro: Susan Shilliday e William D. Wittliff
Elenco: Brad Pitt, Aidan Quinn, Henry Thomas, Julia Ormond, Karina Lombard,Anthony Hopkins, Christina Pickles, Paul Desmond

Sinopse: Três irmãos, três destinos. Alfred (Aidan Quinn) é o reservado, o caçula Samuel (Henry Thomas) é o protegido, e o do meio, Tristan (Brad Pitt), aprendeu com os índios a ter um espírito aventureiro. Ao trazer de volta para o rancho do pai (Anthony Hopkins) uma bela jovem (Julia Ormond), Samuel inicia um conflito de paixões que pode terminar em tragédia para sua família.

Poderia dar vários motivos para indicar “Lendas da Paixão” essa semana. Entretanto, vou citar apenas dois: o primeiro motivo é porque a estória é simplesmente comovente, e o segundo é que essa é uma das melhores oportunidades para ver Brad Pitt em sua melhor forma. O personagem Tristan foi talhado para Pitt.
O filme é uma pintura emocionante. A melancolia está presente em todos os momentos do filme, mesmo naqueles momentos mais felizes. Delicado e selvagem ao mesmo tempo, não te permite desgrudar os olhos da tela.

Para mim, uma das frases mais expressivas do filme é: “Os que mais o amaram foram os que morreram primeiro.” Talvez ela explique um pouco mais da alma atormentada e fascinante de Tristan. A verdade é que você se compadece tanto com Tristan que no final você só quer poder protegê-lo do mundo.

Anthony Hopkins está ótimo no longa, e sinceramente algumas das cenas mais emocionantes são justamente as que acontecem entre pai e filhos. Julia Ormond como a jovem Susannah também é um destaque. A jovem chega noiva do mais novo dos irmãos Ludlow e logo se apaixona por Tristan, o irmão do meio, e de quebra, ainda desperta a paixão do irmão mais velho. Seus sentimentos por Tristan chegam a ser obsessivos, e Julia é fantástica dando vida a isso. Aidan Quinn reforça o elenco com sua atuação na medida.

Direção e roteiro impecáveis. As imagens escuras reforçam o clima melancólico e tenso, transformando a fotografia do filme em um show a parte. E a trilha sonora é o complemento fundamental, sem o qual o longa não seria tão bom.

A verdade é que eu chorei a primeira vez que vi o filme, logo assim que saiu em VHS. Chorei quando vi o filme pela segunda vez, já um pouco mais velha. E ainda hoje me sinto tão encantada e envolvida pelo filme que revejo da mesma forma. Se você nunca assistiu Lendas da Paixão não há mais desculpa para tal. E se você já assistiu, aproveite as férias e assista novamente. Deixe a família Ludlow entrar na sua casa e lhe fazer companhia por alguns momentos.

“Algumas pessoas ouvem suas próprias vozes interiores e vivem de acordo com o que ouvem… essas pessoas tornam-se loucas ou lendas.”

Por: Renata Alves

Deixe uma resposta

Top