Você está aqui
Home > Colunas > Nostalgia de Filme: Gladiador

Nostalgia de Filme: Gladiador

Todos os textos produzidos pelo Up! Brasil não podem ser reproduzidos – total ou parcialmente – sem autorização. Cópias não autorizadas e plágios são crimes previstos no Código Penal.

Título Original: Gladiator
EUA, 2000 – 155 mim.
Épico
Direção: Ridley Scott
Roteiro: David H. Franzoni, John Logan e William Nicholson
Elenco: Russell Crowe, Joaquin Phoenix, Richard Harris, Djimon Hounson.

Sinopse: O destemido Maximus é um honrado general romano de origem espanhola que tem sua família massacrada após recusar lealdade ao inescrupuloso Commodus, filho do imperador recém-assassinado. Vendido com escravo, Maximus utiliza toda sua genialidade militar para vencer seus oponentes no sangrento Coliseu Romano. Destacando-se como gladiador, ele retorna à Roma em busca de vingança.

“Gladiador” é sem sombra de dúvidas um filme excelente. Com um roteiro muito bem escrito e objetivo, tem muito bem amarrado todas as questões do filme. A trilha sonora assinada por Hans Zimmer é impecável. Há momentos de ápice, onde roteiro, direção e atuação formam momentos sublimes, difíceis de serem esquecidos. Um exemplo disso é o momento onde o Imperador conta à seu filho, Commodus, que ele não será Imperador de Roma, tendo como desfecho patricídio.

Porém há uma cena ainda mais forte no longa. Logo após conseguir fugir de sua quase execução, Maximus corre de volta para casa, a fim de buscar sua família e fugir com eles. Porém, ao chegar em seus domínios, o que vê é a prova máxima da crueldade de Commodus: sua esposa e seu filho foram enforcados e pendurados na entrada da casa. A cena é definitivamente a mais tocante e dolorosa do filme, e ali é a morte de Maximus tal qual conhecemos.

A amizade com Juba e Proximo é um dos poucos pontos fracos do novo homem no qual ele se tornou. Maximus, agora um escravo, torna-se um gladiador na arena do Coliseu. O espetáculo é típico da política de “pão e circo” criada em Roma, com objetivo de manter a população sob controle mantendo-os alimentados e entretidos. Maximus é amado pela população, inclusive por Lucius, sobrinho de Commodus e filho de Lucilla, que sempre foi apaixonada por Maximus. Este é outro motivo que alimenta o ódio de Commodus, que é apaixonado pela irmã.

Commodus: Acha que eu tenho medo?
Maximus: Acho que teve medo a vida inteira.
Commodus: Não como Maximus, o invencível que não conhece o medo?
Maximus: Eu conheci um homem que disse: “A morte sorri para nós, o que um homem pode fazer é sorrir de volta”.
Commodus: Estava pensando, o seu amigo sorriu na hora da morte?
Maximus: Você deve saber. Ele era seu pai.

O embate final entre os dois rivais é formidável. Joaquim Phoenix deixou Commodus absolutamente fraco, arrogante e detestável. No final, Maximus, o herói vivido por Russell Crowe, encontra sua única forma possível de paz, unindo-se àqueles que ele mais ama.

Grande vencedor do Oscar 2001, Gladiador concorreu em 12 categorias e levou cinco estatuetas: Melhor Filme, ator, Figurino, Efeitos Especiais e Som. Foi indicado pela Academia Japonesa de Cinema na categoria de Melhor Filme Estrangeiro e levou quatro Baftas: Melhor Fotografia, Filme, Edição e Desenho de Produção, além de dois Globos de Ouro para as categorias: Filme – Drama e Trilha Sonora. Também recebeu prêmios no MTV Awards (Melhor Filme) e no Satellite Awards (Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora Original e Melhores Efeitos Visuais).

Por: Renata

Deixe uma resposta

Top