Você está aqui
Home > Eventos > Comic Con Experience > UpNaCCXP Recap: Sábado

UpNaCCXP Recap: Sábado

Ainda é tempo de falar de COMIC CON EXPERIENCE? SIM! Sempre é tempo de falar de CCXP!
Nós do Up!Brasil, estivemos na Comic Con Experience, que rolou nos dias 3, 4, 5 e 6 de dezembro de 2015, e vamos relembrar todas as coisas sensacionais que vimos por lá. Foi uma experiencia ÚNICA e que todos deveriam ter ao menos uma vez na vida (até porque depois da primeira, você com certeza vai querer ir todos os anos).

SÁBADO 05/12/2015

Chegou sábado, o grande e, para mim, último dia de Comic Con Experience. Mais uma vez chegamos bem cedinho para garantir lugar nos painéis! A organização está de parabéns: desde a entrada já distribuiram pulseiras e organizaram a fila desde lá de fora para todos que queriam ir para os paineis. Para iniciar o dia, tivemos o painel de Misha Collins, nosso querido Castiel da série Supernatural. No painel, Misha contou um pouco sobre como conseguiu o papel do anjo e sobre a amizade com os outros, atores além de suas primeiras experiencias como diretor. Misha contou para gente que inicialmente Castiel teria participação em três episódios (e esses três episódios se transformaram, até agora, em 8 anos!), “Os produtores não queriam que soubessem que teria um anjo na série, então estava no script como demônio. Quando fiz o teste, eles revelaram o segredo e eu fiz tudo de novo, completamente diferente”, explicou ele.

Respondendo perguntas dos fãs sobre o que podemos esperar do personagem na nova temporada, Misha afirmou que os fãs precisam se preparar, pois “Castiel vai tomar decisões ruins”. Já para um fã que pediu diretamente por um spoiler da 11ª temporada, o ator respondeu com uma brincadeira: “vou contar o que acontece em Sobrenatural. Todo mundo morre”, e também deu conselhos quando uma fã pediu uma dica se ela fez o certo em ter largado o curso de psicologia para estudar atuação – ele respondeu que ela deveria fazer o que a deixasse feliz. Foi um painel cheio de amor, carinho e carisma como só Misha Collins consegue proporcionar. Emoções, lágrimas, fãs e risadas, Misha estava um perfeito “brasileiro” enrolado na bandeira de nosso país e tentando falar “gostoso” após ser chamado assim pela plateia.

Nessa manhã cheia de abraços e amor, Misha recebeu diversos presentes, distribuiu abraços, dançou, tirou fotos, e arrancou risadas quando questionado sobre o que mais o impressionou no Brasil – ele elegeu a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. “Eu ainda não consegui visitar São Paulo”, emendou. “Há algo que eu deveria ver?” Alguém gritou ‘Venha para a minha casa’ (Sim, Misha, há muitas casas para você conhecer no Brasil!). Acho que um dos pontos altos foi quando ele comentou que “Baby” era seu episódio favorito dessa nova temporada, e quando todos concordaram ele apenas disse: “Vocês são todos criminosos, então. Mas quem ainda não viu está perdendo. Vocês deviam ser criminosos. Criminosos aproveitam as coisas primeiro”.

Após esse painel (que foi um dos meus preferidos) tivemos que esvaziar o auditório e então dar inicio a uma maratona para tentar entrar nos próximos painéis. Tivemos a pré-estreia do filme O Bom Dinossauro, da Pixar – o filme foi lançado no dia 7 de janeiro aqui no Brasil e ainda se encontra em cartaz. Para essa pré-estreia contamos com a presença do diretor Peter Sohn e da produtora Denise Ream, além do trio de humoristas paulistanos, Os Barbixas, que dá voz aos raptores Bubbha, Melvin e Earl na versão nacional do filme. Após a exibição do filme, o diretor Peter subiu ao palco (com muitos aplausos) e contou um pouco sobre a ideia para o filme, sua carreira e como são feitos os filmes da Pixar.

Ao responder a pergunta que todos queriam fazer, “por que vocês da Pixar amam fazer o público chorar?”, Peter riu e disse que o filme se mostra como é, algo autêntico, com situações que lembram verdadeiras e, por isso, há a identificação e emoção.

O painel da Pixar foi seguido pelo painel da Disney Animation que nos apresentou Zootopia. Nesse painel foi revelado que o jornalista Ricardo Boechat vai dublar um personagem na animação – ele dará voz a um âncora de jornal que é uma onça pintada, animal naturalmente brasileiro, chamado Boi Chá. Ainda nesse painel contamos com a presença de Rodrigo Lombardi, que será a voz nacional da raposa Nick Wilde. “Se eu pudesse, faria só isso na minha vida, porque quando você é criança, assiste e sonha. Quando você dubla, está dentro do sonho”, disse o ator. Zootopia – Essa Cidade é o Bicho estreia em 18 de fevereiro aqui no Brasil.

Com o fim das animações chegou o tão aguardado painel da Marvel sobre Capitão America: Guerra Civil – e para esse painel contamos com a presença de Anthony Russo, um dos diretores do filme e da nova fase da Marvel nos cinemas. O painel exibiu um trailer estendido inédito ao público, exibido apenas na D23. O vídeo aprofunda um pouco mais os motivos que levam Steve Rogers a se tornar um foragido do governo, caçado por seus ex-companheiros, como a Viúva Negra e o Homem de Ferro. Nele vemos também alguns personagens não presentes no primeiro trailer, como Ossos Cruzados, que aparece em algumas cenas de luta contra o Capitão América, o Falcão e a Viúva Negra, e o Homem-Formiga, que aparece na última cena do trailer, conhecendo os Vingadores de Steve Rogers, e mostrando que o filme terá as cenas de humor que viemos a esperar em filmes da Marvel.

Sobre a adaptação das HQ’s para o cinema, Russo explicou que “os fãs precisam manter a mente aberta e saber que diferenças vão existir”. Várias perguntas da plateia questionaram se o herói é o Capitão América e o vilão Tony Stark, e Anthony explicou que embora o filme carregue o nome do Capitão, eles estão trabalhando no filme de modo que, ao chegar no final, ninguém fique com 100% de certeza sobre quem estava certo, porque segundo ele, tanto Steve quanto Tony estão certos e errados ao mesmo tempo. Ele comentou ainda que o filme é mais centrado no mundo do Capitão América, tendo como maior foco ele, a Viúva Negra, o Falcão e Bucky, que agora lembra quem é. Ele explicou sobre as dificuldades de escolher que personagens fariam parte de cada lado da guerra, e que por fim decidiram escolher isso baseado nas relações pessoais e emocionais de cada personagem e não nas escolhas politicas deles. Capitão América: Guerra Civil estreia nos cinemas em 28 de abril.

Finalmente chega o tão esperado painel de Star Wars: O Despertar da Força. O painel contou com uma surpresa para os fãs que lotaram o auditório: a exibição de um vídeo inédito com imagens de making of da produção. O material foi apresentado pelo produtor Bryan Burk, que trabalhou ao lado do diretor J.J. Abrams no novo episódio da saga Star Wars. Bryan nos falou sobre como estavam liberando poucas informações e tomando cuidando com os spoilers. “É incrível como nem jornalistas querem saber muito sobre o filme”, disse o produtor. “Em entrevistas, eles próprios me dizem que não querem ‘spoilers’. Porque quase todos os jornalistas sãs fãs e querem sentir de novo aquela sensação de descobrir ‘Star Wars'”, disse. Burk também falou sobre a “polêmica” de trazer uma mulher como protagonista e um Jedi negro, e contou que trazer personagens de diferentes raças e gêneros não foi algo intencional. Sobre os efeitos especiais disse: “Com os efeitos visuais, você pode fazer tudo e com Star Wars foi concreto. Você podia tocar naquilo, construir estas coisas. Nós vimos a combinação dessas duas ferramentas e ficaram perfeitas”, alegando que, ao assistir as cenas finais, não sabia o que era animação e o que estava realmente no set”.

Esta já é a sexta vez de Burk no Brasil – ele fez questão de vir pessoalmente à CCXP para conversar sobre o filme. A experiência de Burk com Star Wars começou cedo, quando ainda era criança e foi ao cinema assistir os primeiros capítulos, o que ele chama de “experiência única”. Um dos destaques do painel foi o querido droid BB-8 que foi criado por Abrams ao brifar os desenhistas que seria uma bola em cima da outra. Quando levaram os rascunhos, os profissionais adicionaram rodas para que ele pudesse andar, mas o diretor recusou. Ao projetar o protótipo final, sem ninguém no controle dos movimentos do robô, todos ficaram entusiasmados. “Quando J.J. Abrams criou o design, havia uma base embaixo para alguém controlar o robô. Mas depois precisamos achar uma forma para que ele funcionasse de maneira autônoma. Ficamos de queixo caído com o resultado. Até mesmo a versão de brinquedo [do robô, que já é vendida nas lojas] é demais”. Para finalizar Burk diz “A Força é tão importante que faz parte do título, então vai estar mais que presente no filme”, e assim o público foi a loucura.

Após os painéis mais aguardados, tivemos mais um painel cheio de amor e carinho com a fofíssima Evangeline Lilly que mais uma vez arrancou suspiros de seus fãs com todo seu carisma e encanto. Para finalizar a noite, a Rede Globo apresentou a série Supermax, que mistura terror, aventura, drama, romance e ficção científica e conta com um método de produção nunca usado pelo canal de TV. A série contará a história de 12 pessoas escolhidas para participar de um reality show bastante incomum, durante o qual ficarão confinadas em uma prisão isolada em meio à selva amazônica. Com passados distintos, esses personagens têm em comum o fato de que todos cometeram um crime e devem se esforçar ao máximo para esconder suas transgressões.

Não deixe de conferir a live feita pelo Omelete no sábado:

A CCXP – Comic Con Experience já tem data para 2016! Irá acontecer entre 1 e 4 de dezembro no São Paulo Expo, antigo Expo Imigrantes, próximo à estação Jabaquara do Metrô, com conteúdos para fãs de quadrinhos, cinema, programas de TV, desenhos animados e outras áreas da cultura pop. Aguardem os anúncios de convidados e vendas de ingresso!

Deixe uma resposta

Top